Música e Seu Poder Terapêutico 🎶

MEXENDO COM AS EMOÇÕES DE MUITAS MANEIRAS, A MÚSICA PODE AJUDAR TERAPEUTICAMENTE, REDUZIR O ESTRESSE, INSTIGAR A MEMÓRIA E MUITO MAIS.

A música pode exercer diversos efeitos benéficos nas pessoas, como relaxar, combater o estresse e despertar reflexões, dentre outros. Para Álvaro Fernando, premiado compositor de trilhas sonoras e vencedor de três leões em Cannes, a música consegue tocar profundamente cada um de nós:

“A música mexe com nossas emoções. Ela é uma ferramenta preciosa para conduzir a um estado de relaxamento. O estresse hoje é o maior problema do planeta, ele está em todos os lugares.

Nossas emoções ficam guardadas de forma desordenada. Isso pode ser removido com o auxílio do estado meditativo, e a música pode ajudar a conduzir esse estado de paz e tranquilidade”.

De acordo com o dr. Flávio Sallem, neurologista do Hospital Sírio-Libanês, a música utilizada como terapia tem ajudado pacientes justamente por ter uma ação efetiva nos processos cerebrais.

“A melodia tem uma empatia, diminui a tensão e desperta memórias. Penetra no sistema cerebral, no sistema límbico, que produz certas substâncias capazes de trazer a sensação de prazer, podendo, assim, estabelecer novas conexões com a memória, por meio de sinapses”, explica.

A musicoterapia é realizada em alguns hospitais do país, em pacientes com câncer, Alzheimer e até mesmo aqueles que estão sedados e podem recuperar a memória, dentre outros.

“À medida que é feita a musicoterapia, tenta-se relacionar o som às memórias e emoções, e depois de um tempo percebemos que o paciente conversa melhor e fica mais tranquilo.

Em muitos pacientes com doença de Alzheimer, por exemplo, há uma noção de realidade diferente, e parece que a memória volta aos poucos. Aliás, se você for falar alguma coisa para um familiar com Alzheimer, é melhor que seja de forma cantada, porque a música tem grande poder de penetração: ela ‘gruda’ em locais diferentes do cérebro criando sinapses, e isso pode ajudar até a diminuir a tensão em alguns momentos”, ressalta o médico.


Explicando o que caracteriza, de forma simplificada, uma música relaxante, Fernando destaca o ritmo lento, a harmonia repetitiva e uma melodia que quase não aparece.

“Assim são as músicas que tranquilizam: só ritmo e harmonia. Nesse caso, instrumentos bem-vindos são cordas de orquestra, o grave do contrabaixo, piano etc.

Usam-se elementos da natureza para músicas relaxantes, como o barulho do vento e dos pássaros, ou do mar, e o barulho da noite, com cigarras e grilos. Tudo isso acalma, por nos remeter ao contato com a natureza real, que sempre tem um efeito calmante e conversa com o lado direito do cérebro, aquele que não é ligado às questões lógicas”, reforça o músico.

Playlist para momentos de paz e tranquilidade

Fernando ressalta ainda que na hora de escolher uma música relaxante, sempre há um lado pessoal que influencia nessa busca, na medida em que o gosto musical se mistura com o que sentimos ao ouvir algo.

“Quando procuro essas músicas, costumo ouvir diretamente no Youtube, fazendo buscas como ‘músicas para relaxar’. Também gosto de ouvir músicas do Oriente, e pesquiso por ‘músicas do Tibet’, ‘músicas indianas’, ‘músicas orientais’. Há muitas com características relaxantes, poucos elementos, flautas, às vezes vozes que não cantam letras e fazem a melodia com corais bonitos. Enfim, esse é o tipo de música relaxante que uso. Às vezes busco só o som da natureza pura, como o ‘som do mar’ ou o ‘som de passarinhos’”, completa.

Para quem quiser usufruir dos benefícios de uma música relaxante em casa, o dr. Sallem dá uma boa dica:

“Se estiver nervoso, brigado com alguém, coloque a música que você mais gosta. Pode ser uma música qualquer. Se você é aficcionado por clássico, ouça uma música tranquila, relaxe e acompanhe a melodia: você vai se sentir mais calmo para enfrentar o problema. Isso pode ser feito todo dia, não precisa necessariamente ser durante o momento de estresse. É interessante que você tenha isso na sua playlist diária e que tenha esse momento de calma. Às vezes, 30 minutos ouvindo a música já é uma terapia muito mais interessante, e vai te ajudar a tratar aquela situação difícil com muito mais tranquilidade. A playlist vai depender muito das pessoas e da história de cada um”.

Deixe um comentário